Explicações de Matemática para Biólogos

A cadeira de Matemática para Biólogos, ministrada, nomeadamente na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, tem como objetivo potenciar os alunos a utilizar conhecimentos básicos de álgebra linear e de cálculo, aplicando-os na resolução de problemas biológicos. A unidade curricular incide fundamentalmente em conhecimentos e técnicas de resolução de problemas utilizando o cálculo matricial, a derivação, as primitivas e integrais para além das equações diferenciais.

Decida ultrapassar, definitivamente, as dificuldades na cadeira de matemática para biólogos junto dos nossos explicadores, tendo o sucesso que necessita.

 

Explicações de Física e Química

Explicações de  Física e Química aos alunos do ensino secundário.Preparação para os exames nacionais e explicações visando o acompanhamento a aluno durante os testes intermédios e outros ou durante o ano letivo.fisica e quimica

O programa nacional tem o objetivo de formar os alunos nesta formação específica, em três componentes distintas: educação em ciência, educação sobre a ciência e educação pela ciência. São objetivos centrais para o Ministério de Educação, entre outros, o reconhecimento do impacto do conhecimento físico e químico na sociedade, ( o qual, releve-se, que sofreu um espantoso desenvolvimento no último século e em particular na última metade do século XX), a distinção entre conhecimento ciêntifico e não ciêntifico ( conhecimento empírico,  conhecimento tradicional … ).Por outro lado, pretendem as autoridades educativas nacionais que se criem nos alunos do ensino secundário, no âmbito desta disciplina, competências processuais, conceptuais, sociais, atitudinais e axiológicas.Pois, serão essas as linhas mestras dos professores do Quantum-Centro de Explicações de Lisboa, ao ministrarem explicações de física e química, abordando temáticas como as leis da termodinâmica, os mecanismos de transferência de calor ( condução e convecção ), o atrito e a variação da energia mecânica, a energia cinética, os equilíbrios e desiquilíbrios químicos, a acidez e a basicidade do H2O, concentração hidrogiónica e o PH, auto-ionização da água … e muito mais. Consulte os nossos preços e solicite mais informações em Explicações de física e química.

Explicações de Macroeconomia

Explicações de macroeconomia. O QuantumCentro de Explicações de Lisboa,  possui um corpo de explicadores, competente para o ajudar a entender os conteúdos das unidades curriculares de macroeconomia; consumo, poupança e investimento, procura e oferta agregadas, inflação, desemprego, modelos abertos e fechados, modelo multiplicador, câmbios, oferta de moeda, politica monetária, modelo IS/LM, politica orçamental e Crowding-out, crescimento endógeno  e … muito mais, quer no contexto da macroeconomia do curto prazo, quer do longo prazo. A Macroeconomia (do grego: lei ou administração do lar) é um dos ramos da ciência económica, dedicado ao estudo, medida e observação do comportamento dos agentes económicos (Estado, Instituições Financeiras, Empresas, Famílias e Exterior) de uma economia nacional, local ou regional, considerada como um conjunto de interacções reciprocas de fluxos económicos (circuito económico). Um conceito fundamental à macroeconomia é o de sistema económico, ou seja, uma organização que envolva recursos produtivos. Muitos autores consideram que foi a partir do lançamento do livro de Adam Smith “ A riqueza das nações” em 1776 que se deu início à ciência económica. Todavia, é a partir da década de 1930 que a expressão macroeconomia ganhou ênfase, sendo a primeira grande obra literária sobre macroeconomia o livro do economista Inglês John Maynard Keynes “ Teoria Geral do Emprego, Juro e da Moeda” obra que tem a sua génese no estudo da grande depressão de 1929 nos Estados Unidos da América e que fez emergir, a denominada Teoria Keynesiana em oposição à teoria clássica até então vigente. São variadas as correntes do pensamento económico Os clássicos defensores da livre concorrência Adam Smith, David Ricardo, John Stuart Mil ou Jean Baptiste Say). Adam Smith, defensor do liberalismo económico o mercado é a “mão invisível” que harmoniza a procura do interesse individual com o interesse colectivo. Os neoclássicos (dos quais Robert Lucas, Prémio Nobel da Economia em 1955, é o mais importante), defendem  a teoria das antecipações racionais e a “ economia do ciclo real “ que lançou as bases de uma análise microeconómica da macroeconomia. Esta teoria teve uma grande implantação nos anos 80, do século XX. Keynes e os Keynesianos que dominaram o pensamento económico entre 1950 e 1970. Para estes, o “ Agente económico Estado, deveria intervir na economia, para suprir as deficiências do mercado”. Dentro destes, existem dois grupos distintos; aqueles que são apelidados de síntese neoclássica (J.Hicks, Paul Samuelson, P. Solow) que tentaram a fusão das teorias Keynesianas com  a teoria neoclássica e os fieis  a um Keynes anti-clássico (  O. Blanchard, J. Stiglitz, S. Fischer, D. Romer). Marx e os Marxistas, que fundaram uma teoria geral das crises do capitalismo que levariam à sua destruição. Os Marxistas propuseram uma teoria do imperialismo (Lenine, Rosa Luxemburgo, S. Amin), a teoria  do neocapitalismo (P. Baran, Sweezy) e a teoria dos ciclos e crises ( Ernest Mandel). Os Monetaristas, liderada por Milton Friedman ( prémio Nobel em 1976 ), que opondo-se ao Keynesianismo desenvolveu na década de 1960, “ a teoria quatitativa da moeda “ que se consubstanciava na tese que a quantidade de moeda em circulação tem um efeito direto sobre os preços devendo o Estado limitar a criação monetária. Os Intitucionalistas, Heterodoxos,  Socioeconomistas e Economia da Oferta  Não  se poderão considerar como escolas bem definidas, mas um conjunto de autores  de correntes heterogéneas  cujo denominador comum é pensar a economia de forma institucional  e a partir das forças sociais que a compõem. Releve-se neste particular Schumpeter entre outros (Veblen, Commons, F. Perroux, J. Galbraith …) e no domínio da economia da oferta, Arthur Laffer que inspirou a politica de Ronald Reagan. Para este “guru da economia”, demasiado imposto mata o imposto, isto é, uma taxa de imposto demasiado elevada desencoraja o investimento e a atividade económica.

Contacte – nos por telefone ( preferencial) ou por mail para explicações de macroeconomia.

Explicações de Português 9º ano

O ensino do Português. do 9º ano implica a necessidade de conduzir os alunos a um uso reflexivo da linguagem, em que não se limitem apenas a utilizá-la em situações concretas, mas em que possam igualmente construir um conhecimento sobre a língua e sobre os modos como as opiniões, os valores e os saberes são veiculados nos discursos orais e escritos. Por estes motivos, adquire especial importância o acesso a textos e a padrões linguísticos mais complexos.

Sinónimos e antónimos, hipónimos e hiperónimos, palavras homófonas, homógrafas, homónimas e parónimas, semântica lexical, concordância do verbo com o sujeito composto, pronomes, a transformação do discurso direto em indireto, leitura e interpretação de textos como “ O principezinho “ ou “ O concílio dos Deuses “ ( lusíadas) e muito mais

Os professores do Quantum- Centro de Explicações de Lisboa, ajudam o aluno a assimilar esta pluralidade ótica de aprendizagem da língua Portuguesa e auxilia-o durante o ano letivo e preparar para a prova nacional do final do ano.

EXPLICAÇÕES DE PORTUGUÊS

Explicações de Microeconomia

Explicações de microeconomia para estudantes do ensino superior.

O Quantum- Centro de Explicações de Lisboa, oferece um serviço de explicações que lhe irá possibilitar compreender os fenómenos económicos dos mercados de concorrência perfeita, imperfeita e de monopólio.

Compreenda a teoria elementar do consumidor e da procura, a teoria do produtor e da oferta, elasticidades, a teoria das vantagens comparativas, a teoria da utilidade marginal, a estrutura de custos na oferta no curto e longo prazos e muito mais …

Considere  que  a  função  de  custos  total   de  produção  de  uma  empresa  é   a  seguinte:   CT = 0,04y3 – 0,9y2 + 10y + 5,   e  que  o  preço  de  um  certo bem  X  seja   Px = € 4,00.

Encontre o  nível  de  produção  que  maximiza  o  lucro  desta  empresa.

Em  seguida  estime  a  receita  e  custos  finais  da  empresa,  bem  como,  o  seu  lucro  total  e  unitário, ( Y= nível da produção ).

Resolução :

Consulte os nossos preços, para o ensino superior e peça informações adicionais se necessário.

Explicações de Contabilidade Financeira

Contabilidade Financeira é uma expressão técnica que sintetiza a utilização de normas e contas conformes, universalmente aceites e direcionados para a gestão financeira do capital aplicado, elaborando para esse fim , demonstrações financeiras, segundo princípios contabilísticos previamente definidos.

Nesta perspetiva a contabilidade financeira orienta-se, mais expressivamente, para fornecer informação para o exterior da empresa ou instituição ( acionistas ou sócios, entidades fiscais, potenciais investidores, credores, analistas financeiros, agências públicas e privadas de informação) do que privilegiar a informação mais especifica da atividade interna que concorre para a tomada de decisões de gestão tática ou estratégica.

No entanto, não é justificável que o custo de manter uma contabilidade completa ( livro, diário, razão, inventário, conciliações, etc ), para obedecer às exigências das autoridades públicas ( principalmente fiscais), que não deva ser utilizada para algumas informações relevantes, que de outro modo seriam desperdiçadas pela instituição que encare a contabilidade financeira como mero cumprimento legal.

A utilização de registos numéricos de índole contabilístico remonta à antiguidade. Na Suméria, Babilónia e Assíria, registavam-se numéricamente as colheitas e o gado. Os Fenícios que controlaram o comércio no mediterrâneo, registavam, tambêm, o volume de peças vendidas. Os romanos tambêm utilizavam registos para ter conhecimento da quantidade de homens livres e de escravos. O exército romano mantinha registos meticulosos sobre o dinheiro gasto nas campanhas de guerra, mercadorias e transações realizadas. No Egipto a contabilização foi levada ainda a um grau mais profundo, pois os gestores das propriedades mantinham contas sobre a produção e as vendas da produção, pagamentos aos trabalhadores, utilização de animais e despesas.

Quando a economia monetária substituiu a economia de trocas, a contabilidade tornou-se mais complexa.

Ao passo que, anteriormente, um único registo de contabilidade registava apenas dinheiros devidos aos credores e aqueles devidos aos devedores, a nova contabilidade de dupla entrada, regista um “débito” e um “crédito” para cada transação. O sistema permitiu alertar os comerciantes sobre os seus stocks, que poderiam ser furtados pelos seus funcionários ou agentes sem o seu conhecimento.
Apareceram, mais tarde, algumas melhorias como o resumo das contas realizado uma vez por ano sob a forma de um Balanço.

Os explicadores do Centro de Explicações de Lisboa para além de explicarem os conceitos básicos e introdutórios da contabilidade ( bens, direitos, obrigações, património), ajudam o aluno a entender as contas do SNC e a sua movimentação, a construir as demonstrações e mapas financeiros, a fechar contas a entender o ciclo financeiro, financiamento com capitais alheios, imparidades dos investimentos financeiros, de ativos fixos e de dívidas a receber, revalorizações de ativos …  muito mais.
Consulte o nosso site,  verifique os nossos preços e contacte-nos, pois temos respostas pedagógicas para o seu sucesso na unidade curricular de ” Contabilidade Financeira”.

Explicações de Sintaxe

Explicações de sintaxe, gramática e Linguística

Fundamentalmente orientadas para alunos do ensino superior, os professores do Quantum-Explicações, ministram explicações de sintaxe, linguística e gramática Portuguesas.

Da produção linguística à reflexão sobre a língua. Língua, gramática e variação. A norma e a fixação da norma.

O papel da Sintaxe na resolução dos problemas e seus limites – testes sintáticos e regras emanentes do sistema: o léxico e suas propriedades; ordenação de constituintes (das unidades mínimas à frase) .

A linguística textual e a construção do texto. A relação com a an´álise do discurso. Os signos linguísticos. O significado e o significante e muito mais .

Consulte os nossos preços para explicações de sintaxe e gramática e linguística.

Explicações de ACED – Análise Complexa e Equações Diferenciais


Uma equação diferencial é uma equação cuja incógnita é uma função, que surge sob a forma das respectivas derivadas.     Dada uma variável x, função de uma variável y, a equação diferencial envolve, x, y, derivadas de y e eventualmente também derivadas de x.

As equações diferenciais têm inúmeras aplicações práticas em engenharia, física, biologia, economia, química entre outros domínios do conhecimento, sendo o seu estudo, de análise complexa e estando integrada num vasto campo na matemática pura e na matemática aplicada.

Equações diferenciais têm propriedades intrinsecamente interessantes como:

  • solução pode existir ou não.
  • caso exista, a solução é única ou não.

A ordem da equação diferencial é a ordem da derivada de maior grau que aparece na equação. A solução de uma equação diferencial de ordem n, conterá n constantes.

Os nossos professores explicarão o que necessita para o ajudar a atingir o conhecimento e a preparação para a resolução de equações diferenciais ordinárias ou equações diferenciais parciais.

Contacte-nos e consulte os nossos preços.

Explicações de Português

Explicações de Português no Quantum-Explicações. Nas nossas salas na Av. de Roma, em Lisboa, preparamos os alunos para os exames nacionais das disciplinas de Português  e Língua Portuguesa ou para o sucesso nas provas de avaliação durante o ano letivo.

Os programas de Português do ensino secundário e de Língua Portuguesa do ensino básico, pretendem  não só dotar os alunos de competências específicas, mas também de competências gerais.

São eixos de atuação no ensino básico :

–  O eixo da experiência humana, onde se situa a tensão entre a individualidade e a  Comunidade.

–  O eixo da comunicação linguística, dominado pela interação do sujeito linguístico com os outros, seja pela prática da oralidade, seja pela prática da escrita.

– O eixo do conhecimento trans linguístico, remetendo para a relação da língua com a aquisição de outros saberes a que ela dá acesso e que por seu intermédio são representados.

No que concerne ao ensino secundário.

Para além dos textos literários estudados, o objetivo fulcral da disciplina de Português, seja ela o Português A ou Português B, é o de criar e desenvolver competências linguísticas.

São inerentes a estas competências, o desenvolvimento e o aprimoramento das capacidades de falar, escrever e compreender, quer sejam enunciados escritos quer orais.

   

As explicações de Português, que também visam preparar o exame nacional, no final do 12º ano, que avalia as referidas competências e o conhecimento sobre os autores literários estudados. O percurso programático do 12º ano, incorpora o Realismo, a Geração de Setenta, Antero de Quental, Eça de Queirós- Os Maias, Cesário Verde, o Modernismo, Fernando Pessoa ortónimo, Heterónimo Alberto Caeiro, Heterónimo Álvaro de Campos, Heterónimo Ricardo Reis, Fernando Pessoa- Mensagem, Luís de Stau Monteiro- Felizmente há luar, Miguel Torga, Sophia de Melo Breyner, Eugénio de Andrade, Virgílio Ferreira-  Aparição ou José  Saramago- Memorial Do Convento

                

Explicações de Língua Portuguesa ao 1º Ciclo, ao 2º Ciclo, ao 3º Ciclo e de Português ao ensino secundário.

Consulte os nossos preços  sobre as Explicações de Português, em Lisboa