Calendário escolar 2020-2021

EXPLICAÇÕES E EXAMES

ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO

O calendário escolar 2020-2021 segue modelo habitual: três períodos letivos e o mesmo número de pausas letivas (Natal, Carnaval e Páscoa). O arranque do ano letivo está marcado para setembro, devendo terminar em junho.

No calendário escolar do novo ano letivo constam ainda as datas das avaliações externas: provas de aferição, provas finais de ciclo e exames finais nacionais.

Períodos letivos

O primeiro período letivo começa, para todos os níveis de ensino, entre os dias 14 e 17 de setembro e acaba a 18 de dezembro. As cinco primeiras semanas deste período serão destinadas à recuperação de aprendizagens, de modo a colmatar eventuais perdas que tenham acontecido no último ano letivo, devido aos constrangimentos resultantes da Covid-19.

O segundo período letivo arranca no dia 3 de janeiro e estende-se até ao dia 24 de março. Por último, o terceiro tem início no dia 6 de abril, ficando concluído, consoante o nível de ensino, entre os dias 9 e 30 de junho.

Aulas
Períodos letivosInícioFim
1.º14 a 17 de setembro de 202018 de dezembro de 2020
2.º4 de janeiro de 202124 de março de 2021
3.º6 de abril de 20219 de junho de 2021 – 9.º, 11.º e 12.º anos de escolaridade
15 de junho de 2021 – 7.º, 8.º e 10.º anos de escolaridade
30 de junho de 2021 – pré-escolar, 1.º e 2.º ciclos do ensino básico

Pausas letivas

São três as interrupções letivas. A primeira acontece entre os dias 21 e 31 de dezembro (férias do Natal), a segunda verifica-se entre os dias 15 e 17 de fevereiro (miniférias do Carnaval) e a terceira ocorre entre os dias 25 de março e 5 de abril (férias da Páscoa). Face aos anos letivos anteriores, verifica-se uma redução da pausa letiva da Páscoa.

Férias
Pausas letivasInícioFim
Natal21 dezembro de 202031 de dezembro de 2020
Carnaval15 de fevereiro de 202117 de fevereiro de 2021
Páscoa24 de março de 20215 de abril de 2021

Calendário escolar 2020-2021: conheça todas as datas

Avaliações externas

Provas de aferição

O calendário escolar do ano letivo 2020-2021 volta a contemplar a realização das habituais provas de aferição para os 2.º, 5.º e 8.º anos, em maio e junho. Recorde-se que estas avaliações foram excecionalmente suspensas no ano letivo anterior, devido à Covid-19.

O objetivo das provas de aferição é aferir os conhecimentos adquiridos pelos alunos e, com base nessa informação, avaliar as escolas e colmatar as fragilidades detetadas.

Calendário escolar 2020-2021: conheça todas as datas

Provas finais de ciclo

Tal como as provas de aferição, também as provas finais de ciclo do 9.º ano regressam ao calendário escolar, depois de terem sido interrompidas no último ano letivo. Estas avaliações, que têm um peso de 30% na nota final, serão realizadas em junho e julho.

Calendário escolar 2020-2021: conheça todas as datas

9.º ano

1.ª fase

9.º ano (1.ª fase)
DisciplinaData
Português Língua Não Materna17 de junho de 2021
Matemática21 de junho de 2021
Português, Português Língua Segunda25 de junho de 2021

2.ª fase

9.º ano (2.ª fase)
DisciplinaData
Matemática20 de julho de 2021
Português, Português Língua Segunda, Português Língua Não Materna22 de julho de 2021

Calendário escolar 2020-2021: conheça todas as datas

Exames finais nacionais

Os alunos dos 11.º ano e 12.º anos farão os habituais exames nacionais. Estas são as avaliações mais importantes da escolaridade obrigatória. Contam para a média do ensino secundário e, em alguns casos, funcionam como provas de ingresso ao ensino superior. Os exames finais nacionais decorrerão entre junho e julho.

11.º ano

1.ª fase

11.º ano (1.ª fase)
DisciplinaData
Espanhol, Geometria Descritiva A18 de junho de 2021
Filosofia, Francês21 de junho de 2021
História, História da Cultura e das Artes22 de junho de 2021
Físico- Química, Latin23 de junho de 2021
Economia A, Alemão25 de junho de 2021
Inglês28 de junho de 2021
Matemática B, Matemática Aplicada
às Ciências Sociais
30 de junho de 2021
Mandarim2 de julho de 2021
Biologia e Geologia, Literatura Portuguesa5 de julho de 2021
Geografia A6 de julho de 2021

2.ª fase

11.º ano (2.ª fase)
DisciplinaData
Físico-Química A, Literatura Portuguesa, Economia A, Latim A21 de julho de 2021
História da Cultura
e das Artes, Geografia A
22 de julho de 2021
Matemática B, Matemática Aplicada às
Ciências Sociais,
Filosofia
23 de julho de 2021
História B, Geometria Descritiva A, Biologia e Geologia26 de julho de 2021
Inglês, Alemão, Espanhol,Francês,
Mandarim
27 de julho de 2021

Calendário escolar 2020-2021: conheça todas as datas

12.º ano

1.ª fase

12.º ano (1.ª fase)
Português, Português Língua Segunda, Português Língua Não Materna17 de junho de 2021
História A22 de junho de 2021
Matemática A30 de junho
Desenho A2 de julho

Calendário escolar 2020-2021: conheça todas as datas

2.ª fase

12.º ano (2.ª fase)
Português, Português Língua Segunda, Português Língua Não Materna22 de julho de 2021
Matemática A23 de julho de 2021
História A, Desenho A26 de julho de 2021

Explicações de Português

Explicações de Português no Quantum-Explicações. Nas nossas salas na Av. de Roma, em Lisboa, preparamos os alunos para os exames nacionais das disciplinas de Português  e Língua Portuguesa ou para o sucesso nas provas de avaliação durante o ano letivo.

Os programas de Português do ensino secundário e de Língua Portuguesa do ensino básico, pretendem  não só dotar os alunos de competências específicas, mas também de competências gerais.

São eixos de atuação no ensino básico :

–  O eixo da experiência humana, onde se situa a tensão entre a individualidade e a  Comunidade.

–  O eixo da comunicação linguística, dominado pela interacção do sujeito linguístico com os outros, seja pela prática da oralidade, seja pela prática da escrita.

– O eixo do conhecimento translinguístico, remetendo para a relação da língua com a aquisição de outros saberes a que ela dá acesso e que por seu intermédio são representados.

No que concerne ao ensino secundário.

Para além dos textos literários estudados, o objetivo fulcral da disciplina de Português, seja ela o Português A ou Português B, é o de criar e desenvolver competências linguísticas.

São inerentes a estas competências, o desenvolvimento e o aprimoramento das capacidades de falar, escrever e compreender, quer sejam enunciados escritos quer orais.

   

O exame nacional de Português, no final do 12º ano, avalia as referidas competências e o conhecimento sobre os autores literários estudados neste ano. O percurso programático do 12º ano, incorpora o Realismo, a Geração de Setenta, Antero de Quental, Eça de Queirós- Os Maias, Cesário Verde, o Modernismo, Fernando Pessoa ortónimo, Heterónimo Alberto Caeiro, Heterónimo Álvaro de Campos, Heterónimo Ricardo Reis, Fernando Pessoa- Mensagem, Luís de Stau Monteiro- Felizmente há luar, Miguel Torga, Sophia de Melo Breyner, Eugénio de Andrade, Virgílio Ferreira-  Aparição ou José  Saramago- Memorial Do Convento

                

Explicações de Língua Portuguesa ao 1º Ciclo, ao 2º Ciclo, ao 3º Ciclo e de Português ao ensino secundário.

Consulte os nossos preços  sobre as Explicações de Português, em Lisboa                                              

 

                                                                     

O FENÓMENO DAS EXPLICAÇÕES VISTO ATRAVÉS DE UMA ANÁLISE COMPARADA

Pode afirmar-se, sem grandes margens para erro, que as explicações são um daqueles fenómenos cuja difusão à escala global não merece contestação. Aliás, pensamos não ser forçado dizer-se que a “difusão mundial da escola” (matéria que tem sido estudada, entre outros, por John W. Meyer e que já mereceu, em Portugal, honras de antologia organizada ( por Nóvoa e Schriewer, 2000) tem como correlato a difusão mundial das explicações. Ainda que a história das explicações esteja em grande parte por fazer (ao invés do que se passa, como sabemos, com a história da escola), parece-nos plausível admitir que o desenvolvimento dos modernos sistemas educativos e a consolidação da “gramática da escola” (Tyack e Tobin, 1994; Nóvoa, 1995), nomeadamente a centralidade conquistada quer pela pedagogia colectiva (“ensinar a todos como se fossem um só”) quer pelos exames, criaram o ambiente propício para o aparecimento de respostas educativas “alternativas” através das explicações. Sem pretendermos ser exaustivos, apresentamos de seguida alguns argumentos em que nos baseamos para fazermos a afirmação anterior:

1. as explicações podem permitir (embora tal possa não acontecer sempre) um ensino individualizado, o que contrasta com o ensino massificado oferecido pelos sistemas educativos modernos;

2. as explicações podem apresentar-se como o espaço de realização dos trabalhos de casa, o que mostra mais uma dimensão da complementaridade que pode existir com o sistema regular de ensino;

3. as explicações podem ainda realizar a função (quiçá uma das mais apreciadas pelos clientes destes serviços) de preparação para os exames, cuja relevância máxima é atingida no caso do exame nacional;

4. as explicações podem cumprir ainda a função (mais social do que académica, reconheça-se) de apoio à família, oferecendo serviços de ocupação dos tempos livres vitais para uma família nuclear cada vez mais restrita e com elevados índices de ocupação laboral fora da esfera doméstica.

Sublinhar a importância das explicações no contexto educacional das sociedades parece ser um daqueles lugares comuns que aparentemente ninguém contesta. E, no entanto, essa importância não permitiu ainda que o tema conquistasse o espaço que mereceria, seja sob o ponto de vista académico, político, social ou económico. O epíteto de “actividade na sombra” parece ser revelador do que queremos afirmar. Nós próprios já demos conta destas preocupações em trabalhos anteriores (Costa, Ventura e Neto-Mendes, 2003; Costa, Neto-Mendes e Ventura, 2006), ainda que privilegiando enfoques diferentes daqueles que nos movem no presente, não dispomos ainda de evidências empíricas que permitam sustentar uma avaliação deste tipo relativamente à realidade portuguesa.

 

Alexandre Ventura

António Neto-Mendes

Jorge Adelino Costa

Sara Azevedo

 

Universidade de Aveiro (Portugal)

Explicações – destinatários e localização

O serviço de explicações que oferecemos destinam-se a alunos a partir do 1º ano até ao ensino superior Universitário ou Politécnico.

As explicações são presenciais em sala, na Av. de Roma em Lisboa.

A localização preveligiada do nosso Centro de Explicações, encontrando-se no centro geográfico de Lisboa e numa das principais avenidas da cidade de Lisboa, servida por inúmeras carreiras de autocarro, pelo metro e ainda por linha de comboio confluente à linha do norte, linha de Sintra e linha da Fertagus ( margem sul), viabiliza uma mobilidade de excelência para os seus utentes, pela rapidez e facilidade da mesma. A localização do Quantum – Centro de Explicações de Lisboa permite, mesmo a deslocação dos seus utentes de modo pedestre, para muitos alunos, relativamente a escolas onde os alunos estudem.

a,  

A grande proximidade  do Centro de Explicações do Instituto Superior Técnico ( IST), da cidade Universitária (Faculdade de Ciências, Faculdade de Psicologia, ISCTE, Faculdade de Direito, Faculdade de Medicina, Faculdade de Farmácia, … etc) da Universidade Lusófona, escolas secundárias ( Escola Secundária Rainha D. Leonor, Escola Secundária Filipa de Lencastre … etc)  e  de escolas do ensino básico como a Escola Eugénio dos Santos, entre outras, assim o comprovam.

A comunidade escolar a que oferecemos os nossos serviços em Lisboa, face à nossa localização, não se resume, pelo descrito acima,  às áreas limítrofes do Centro de Explicações : Areeiro, Olaias, Alvalade, Av. de Roma, Av. EUA, Av. João XXI, Praça de Londres, Alameda D. Afonso Henriques, Penha de França, Praça do Chile, Entre Campos, Campo Pequeno, Campo Grande, Av. do Brasil, Anjos, … etc, mas também a alunos que residem, estudem ou trabalham, na linha de Sintra ( Amadora, Queluz, Massamá … etc ), na margem Sul ( Almada, Corroios, Monte da Caparica, Feijó … etc) ou na linha norte ( Alverca, Parque da Nações … etc ) pela operacionalidade móvel concedida pelo metro e comboio.

Explicações de Filosofia

Para Aristoteles a filosofia é o conhecimento do primeiro grau, que vigia dia e noite a busca da verdade. A filosofia não brota por ser útil, mas tão-pouco pela ação irracional de um desejo veemente. É constitutivamente necessária ao intelectual.

A maturidade é tudo. Talvez que a filosofia nos dê, se lhe formos fiéis, uma sadia unidade de alma. Da unidade de espírito pode vir a unidade de caracter e propósitos que faz a personalidade e dá ordem à dignidade da vida.

Filosofia é conhecimento harmónico, criador, é disciplina que nos leva à serenidade e á liberdade.

Saber é poder, mas só a sabedoria é liberdade.

 Explicações de Filosofia para os alunos do ensino secundário, envolvendo as temáticas do conteúdo programático da disciplina:

  • Análise e compreensão do agir
  • Análise e compreensão da experiência valorativa
  • Dimensões da ação humana e valores
  •           A dimensão ético-política – Análise e compreensão da experiência convivencial
  •           A dimensão estética – Análise e compreensão da experiência estética
  •           A dimensão religiosa – Análise e compreensão da experiência religiosa
  • Racionalidade argumentativa e Filosofia
  •           Argumentação e lógica formal
  •           Argumentação e retórica
  • O conhecimento e a racionalidade ciêntífica e tecnológica
  • Desafios e horizontes da Filosofia

Consulte os nossos preços, temos respostas pedagógicas para si.