Explicações de Álgebra

A álgebra é o ramo da matemática que estuda as aplicações formais de equações, operações matemáticas, estruturas algébricas e polinómios e apresenta-se como uma disciplina (conhecimento) independente em muitos cursos do ensino superior, universitário e politécnico.

A álgebra surgiu no Egipto quase ao mesmo tempo que na Babilônia; mas faltavam à álgebra egípcia, segundo Papiro Moscou e o Papiro Rhind (documentos egípcios datados respetivamente de cerca de 1850 a.C. e 1650 a.C), os métodos sofisticados da álgebra babilônica, bem como a variedade de equações resolvidas.

O sistema de numeração egípcio, relativamente primitivo em comparação com o dos babilônios, ajuda a explicar a falta de sofisticação da álgebra egípcia. Os matemáticos europeus do século XVI tiveram de estender a noção indo-arábica de número antes de poderem avançar significativamente, para além dos resultados babilônios de resolução de equações.

A álgebra, lecionada,  introduz o conceito de variável como representação de números, utilizando expressões em que estas variáveis são manipuladas através de regras operatórias aplicáveis a números, como a multiplicação e a adição.

Estes conceitos permitem, nomeadamente resolver equações.

Contudo a adição e a multiplicação podem ser generalizadas, permitindo as suas  definições exactas conduzirem-nos a estruturas, nomeadamente os conhecidos anéis, grupos e corpos, que são estudados na álgebra abstrata.

Os professores do Centro de Explicações de Lisboa, tem respostas pedagógicas para si, ajudando-o a desvendar os segredos da álgebra, explicando conceitos e cálculos :

  • Matrizes, sistema de equações lineares e determinantes ( conceito de matriz, cálculo do deteminante, desenvolvimento de Laplace, matrizes adjuntas e inversas, matriz identidade, propriedades operatórias, fórmula de Gauss-Jordan … etc)
  • Espaços e subespaços vetoriais ( conbinações lineares, dependência e independência linear, base de um espaço vetorial, mudança de base …etc )
  • Transformações lineares ( conceitos e teoremas, transformações do plano no plano …etc)
  • Valores e vectores próprios ( polinómio característico, … diagonalização de operadores, produto interno, tipos especiais de operadores lineares ), entre outros …

O nosso quadro de professores licenciados, mestres e doutorados oferecem-lhe as condições ” sine qua none ” do seu sucesso na cadeira de Álgebra.

Navegue neste site e contacte-nos

Explicações de Química Orgânica

A química orgânica é um ramo da química, com génese no estudo das substâncias que constituem a matéria viva e dos compostos resultantes das suas transformações.

Em muitas das Instituições de Ensino Superior, a cadeira de Química Orgânica, revela-se com alguma dificuldade para muitos estudantes.

Há muitos anos atrás, tanto os Fenícios como os Egípcios utilizavam produtos e técnicas “ cientificas “ para tingir têxteis, respectivamente a utilização de um corante de cor púrpura obtido das glândulas branquiais do molusco “ Merex Trunculus “ e o índigo ( com origem no anil ) e a alizarina . Ainda hoje é utilizado o índigo para tingir calças e outras peças de vestuário de ganga, a despeito deste corante ser obtido actualmente, através de processos industriais, o que revela que o Homem possui um domínio da química orgânica desde os primórdios da civilização.

A utilização de vinho para produzir vinagre e a fermentação das uvas para gerar álcool etílico, está descrito na Bíblia. Em plena idade medieval conhecia-se as propriedades ácidas do limão e o alquimista Jabir Hayyan descobriu no século VIII o ácido cítrico (C6H8O7). Com o fim da química tradicional no século XVIII, o químico Sueco, Torben Olof Bergman, dividiu, a química, em:

Torbem Olof Bergman

  • Química Orgânica     – ( Química dos compostos existentes nos organismos vivos )
  • Química Inorgânica – ( Química dos compostos existentes no reino animal )

 

Inicialmente, pensava-se que a síntese de substâncias orgânicas, seria apenas verosímil com a interferência de organismos vivos, contudo, veio a demonstrar-se que estes compostos podiam ser sintetizados em laboratório. Daí, que a designação de compostos de carbono ter vindo a substituir a de compostos orgânicos, já que este elemento é “ denominador comum “ a todos eles.

 

A facilidade com que os átomos de carbono (6C 1s2 2s2 2p2, 4 electrões de valência) formam ligações covalentes (simples, duplas ou triplas)  com outros átomos de carbono ou com átomos de outros elementos explica o número e a variedade de compostos orgânicos. Os compostos orgânicos podem ser agrupados e classificados de acordo com a presença de determinados grupos de átomos nas suas moléculas (os grupos funcionais), grupos esses que são responsáveis pelo comportamento químico dessas famílias de compostos orgânicos. Qualquer composto orgânico é constituído por uma cadeia carbonada não reativa, “o esqueleto” e por uma parte reativa, o grupo funcional.

Os hidrocarbonetos são substâncias moleculares binárias, pois são apenas formadas por carbono e hidrogénio. Quando na cadeia carbonada só existem ligações covalentes simples, trata-se de um hidrocarboneto saturado, caso existam ligações covalentes duplas ou triplas, entre os átomos de carbono, trata-se de um hidrocarboneto insaturado. Há dois grandes grupos de hidrocarbonetos: os hidrocarbonetos aromáticos (contêm, pelo menos, um anel benzénico) e os hidrocarbonetos alifáticos (não contêm nenhum anel benzénico e as suas cadeias carbonadas, podem ser abertas ou fechadas e qualquer delas pode ser ramificada (C3 ou C4) ou linear (C1 ou C2)).

Os explicadores do Quantum – Centro de Explicações de Lisboa, ajudarão os alunos a compreender estes conceitos e outros, como as nomenclaturas dos alcanos, dos alcenos e dos alcinos, esteres, aminas, polímeros e muito mais …

Peça informações e consulte os nossos preços, temos respostas pedagógicas para si …

Explicações de Biologia e Geologia em Lisboa

A  disciplina de Biologia e Geologia está  inserida, como formação específica do Curso Ciêntifico-Humanístico de Ciências e Tecnologias  do  ensino secundário, sendo uma disciplina bianual (10º e 11º anos ou 11º e 12º anos).

Entre os objetivos da disciplina, segundo o Ministério da Educação, encontram-se no conteúdo programático, vertentes conceptuais, atitudinais e procedimentais.

 Abordaremos aqui, de forma genérica, não as finalidades e objetivos específicos definidos pelas autoridades educativas Portuguesas para a disciplina, mas os conteúdos ciêntificos subjacentes  à mesma, que os explicadores do Quantum – Centro de Explicações de Lisboa terão a preocupação pedagógica e didática de munir os nossos explicandos desta disciplina e que são em substância as necessidades de aquisição cognitiva.

Asssim os nossos professores terão o prazer de ajudar os alunos no que à Biologia, diz respeito, a abordar os processos de auto e heterotrofia nos seres vivos com distintos graus de complexidade, permitir o estudo dos sistemas vasculares como adaptações evolutivas dos seres vivos ao meio terrestre, compreender os processos de transformação de energia, incluíndo a utilização das vias aeróbia e anaeróbia, abordar os aspectos relacionados com a manutenção das condições do meio interno dos organismos perante as flutuações do meio externo ( estudo da termorregulação e osmorregulação nos animais e fito-harmonas nas plantas), entender a renovação celular, explicar o papel do DNA e da síntese proteica, estudar a reprodução como forma de transferir informação, explicar a evolução biológica, abordando o conhecimento sobre a organização biológica e a sistemática dos seres vivos.

No que concerne à Geologia, os explicadores do Quantum- Centro de Explicações de Lisboa, transmitirão conhecimentos, abordando os métodos de pesquisa e trabalho utilizados pelos geólogos, promovendo o entendimento das características muito especiais do planeta no qual habitamos, ajudar o aluno a compreender a estrutura e a dinâmica da geosfera, a explicar os subsistemas terrestre sólido e liquído e no qual se inclui reconhecer algumas rochas ( ardósias, arenitos, argilas,  carvões, calcário, dioritos, filitos, gessos, micaxistos, turfas, xistos … etc ) minerais ( calcite,  quartzo, micas etc ) e diversos fósseis.

Visite o  nosso site, consulte os nossos preços para Explicações de Biologia e Geologia

 

Explicações individuais ou em grupo. Como escolher ?

AlunosAs explicações a alunos que frequentam o ensino educativo,  são como conceito  “clássico”, uma atividade em que um professor ajuda um estudante, de forma individual e personalizada, a recuperar conteúdos programáticos, a explicar matérias não apreendidas corretamente em sala de aula e a preparar testes, frequências ou exames.Portanto, o conceito genérico de explicações é o da explicação individual.

No entanto a crescente procura de explicações particulares em todo o mundo e também em Portugal, engendrou a necessidade de conferir ao universo estudantil a possibilidade de acesso a este tipo de serviços, não hostilizando aqueles cuja capacidade económica fosse mais débil.

Os Centros de Explicações, viabilizaram o acesso dos alunos de uma forma “democrática”  às explicações, criando explicações em grupo, a um preço mais acessível.

Lição em sala de aula

Lição em sala de aula

A questão que se poderá colocar é a de que ” será a explicação em grupo, tão rentável em termos de aquisição de conhecimentos como a explicação individual ?

Na maioria dos casos as explicações individuais são mais rentáveis que as explicações em grupo, apesar destas, em certas condições muito específicas poderem ser tão rentáveis como as individuais, dependendo da caracteristica dos alunos do grupo e portanto, com alguma aleatórieadade.

Explicações individuais

Releve-se, neste particular, que o grau de rentabilidade, das explicações em grupo, em termos gerais, vai diminuindo com o nível de escolaridade.

Se, ao nível do 1º e 2º ciclos de ensino as explicações em grupo assumem uma rentabilidade  muito satisfatória, e por vezes muito boa, quando alcançamos as explicações para alunos do ensino superior a probabilidade de queda da qualidade das explicações pode ser acentuado.

Explicações em grupo

 

 

 

 

De facto, os alunos tem um ensino massificado nas escolas que frequentam, sejam elas dos ensinos básico, secundário ou universitário, nas quais as turmas podem atingir 30 alunos, sendo impossível os professores poderem dissipar dúvidas a muitos alunos em aulas de duração inferior a 2 horas.

As denominadas, aulas de apoio, ministradas nas escolas básicas e secundárias, tem-se revelado com uma produtividade abaixo da média, principalmente quando os alunos a apoiar são em número superior a três ou quatro, pois o professor não dispõe de tempo suficiente para explicar todas as dúvidas a todos os alunos presentes, quanto muito uma ou duas a cada um deles, ficando por dissipar muitas das dificuldades dos estudantes.

As explicações permitem o ensino individualizado, o que contrasta com o ensino massificado oferecido pelos sistemas educativos, por isso, aconselhamos os estudantes a escolherem as explicações individuais e no caso das condições económicas não possibilitarem essa escolha, a opção de explicações em grupo deve ser, em grupos de 3 alunos no máximo.

É isso que propomos e que praticamos no Quantum-Explicações.

Explicações de Microeconomia

Explicações de microeconomia para estudantes do ensino superior.

O Quantum-Explicações oferece um serviço de explicações que lhe irá possibilitar compreender os fenómenos económicos dos mercados de concorrência perfeita, imperfeita e de monopólio.

Compreenda a teoria elementar do consumidor e da procura, a teoria do produtor e da oferta, elasticidades, a teoria das vantagens comparativas, a teoria da utilidade marginal, a estrutura de custos na oferta no curto e longo prazos e muito mais …

 

Considere  que  a  função  de  custos  total   de  produção  de  uma  empresa  é   a  seguinte:   CT = 0,04y3 – 0,9y2 + 10y + 5,   e  que  o  preço  de  um  certo bem  X  seja   Px = € 4,00.

Encontre o  nível  de  produção  que  maximiza  o  lucro  desta  empresa.

Em  seguida  estime  a  receita  e  custos  finais  da  empresa,  bem  como,  o  seu  lucro  total  e  unitário, ( Y= nível da produção ).

Resolução :

Consulte os nossos preços, para o ensino superior e peça informações adicionais se necessário.

Explicações de Economia

Explicações de Economia para preparação dos exames nacionais do ensino secundário ou acompanhamento dos alunos no decurso do ano letivo, no nosso Centro de Explicações de Lisboa, localizado na Av. de Roma em Lisboa.Euro economia

O aluno de Economia no nosso Centro de Explicações, vai compreender e interpretar gráficos, classificar necessidades e bens, compreender o papel dos agentes económicos na atividade económica, diferenciar as três óticas de cálculo do produto ( produção, rendimento e despesa ) e calcular o PIB e o PNB  a preços de mercado e a custo dos fatores.

Explicações curvas da procura e da oferta

Ponto de equilíbrio económico de mercado

Os nossos explicandos vão entender, ainda, as leis e as curvas da procura ( demanda) e da oferta ( supply) e o significado do ponto de equilíbrio de mercado.

Muitos outros conceitos estão pautados no programa da disciplina de economia, os quais os explicadores do ” Quantum-Explicações ” irão ajudar o aluno a compreender, como inflação, deflação, indíce de preços no consumidor, rendimentos pessoal, disponível e ” per capita”, preços correntes e a preços constantes, concorrência perfeita e concorrência imperfeita ( oligopólos e monopólios e concorrência monopolística ), fatores de produção, lei dos rendimentos decrescentes e economias e deseconomias de escala, fluxos económicos ( reais e monetários ) entre os agentes económicos ( Empresas, Famílias, Instituições Financeiras, Estado e Exterior ), lei de Engel, curva de Lorenz, poupança, investimento, entesouramento, aplicação financeira, consumo, consumismo e consumarismo … e muito mais.

Consulte os nossos preços e solicite mais informação em Explicações de Economia.

Um ano de 2017 de sucesso para os estudantes Portugueses

O Quantum-Explicações deseja a todos os estudantes, seus familiares e amigos, um ano de sucesso, nas vossas vidas.Ano novo

Aos alunos, sugerimos que em 2017, levem a sério o que um dia Albert Eistein escreveu :

” O único local do mundo, em que o sucesso vem antes do trabalho, é no dicionário “

Portanto estudem com empenho, leiam aquele livro que sempre tiveram  vontade de ler e nunca arranjaram  um tempo para o fazer, saiam com a vossa família, divirtam-se com os vossos amigos e trabalhem com lealdade e afinco.

Indubitavelmente que o T de trabalho vem antes do S de sucesso, mas de facto só no dicionário.

Sejam felizes com a emoção do conhecimento e da cultura.

Explicações de Estatística Lisboa

À ciência que dispõe de processos apropriados para recolher, organizar, classificar, apresentar e interpretar conjuntos de dados, apelidamos de Estatística.

Estatística permite extrair informação dos dados por forma a  obter uma melhor compreensão das situações que representam uma determinada realidade.

O Quantum – Centro de Explicações de Lisboa, ministra explicações de estatística, também denominada de ” Probabilidade e Estatística ” em algumas Instituições do ensino superior em Portugal.

A absorção de conceitos fundamentais, a capacidade de manuseamento dos dados e a utilização de cálculos para engendar respostas são essenciais na estatística.

Por isso. os explicadores ( licenciados, mestres ou doutorados) do nosso Centro de Explicações, transmitirão aos estudantes conhecimentos que viabilizem a aprendizagem da estatística, desde os elementos mais básicos, alguns já apreendidos no ensino secundário (espaço de resultados, acontecimentos, acontecimentos independentes … ) até aos mais complexos (axiomática de Kolmogorov, variáveis aleatórias das funções de distribuição, função geradora de momentos,  valor esperado e momentos de variáveis aleatórias bidimensionais, inferência estatística), distribuições discretas ( distibuições de Bernoulli e de Poisson) ou distibuições contínuas ( distribuições normal, exponencial, Gama, quiquadrado, teorema do limite central).

Modelo de regressão linear

Estas são normalmente as temáticas, genéricas, dos conteúdos programáticos das cadeiras de estatística de primeiro ano nas Instituições de ensino superior. Contudo, a ciência estatística, não se dissolve nos temas acima referenciados e em muitas Instituições universitárias os programas curriculares da cadeira de estatística ( frequentemente chamada de estatística II e mesmo de estatística III nos cursos de licenciatura) contemplam outras matérias de desenvolvimento, abordando a estimação, os testes de hipóteses, modelos não paramétricos, modelos de regressão linear e complementos a este modelo.

Em alguns cursos de mestrado com forte componente matemática e mesmo em doutoramento estudam-se conteúdos de estatística avançada e  processos estocásticos.

A necessidade de formular  políticas públicas por por parte do Estado, está na origem da estatística, já que a recolha, organização e tratamento de dados concernentes aos elementos de teores económicos, demográficos e de administração pública eram e são importantes para a criação dessas políticas.

No primeiro quatil do século XIX registou-se um incremento da abrangência da utilização da estatística ao incluir a acumulação e análise de dados, sendo hoje a estatística amplamente aplicada nas ciências naturais e nas ciências sociais inclusive na administração pública e gestão privada das organizações e empresas “stritus sensus”.

Os fundamentos matemáticos construídos no século XVII com o desenvolvimento da teoria das probabilidades por Pascal e Fermat e o método dos mínimos quadrados, descrito pela primeira vez por Carl Gauss e o uso dos computadores da era contemporânea permitiram a computação dos dados estatísticos em larga escala, possibilitando novos métodos, antes julgados impossíveis.

Navegue no nosso site, consulte os nossos preços acessíveis, peça mais esclarecimentos e aceite a ajuda dos nossos explicadores, contactando-nos, pois queremos ser parte do seu sucesso nas cadeiras de estatística.