Explicações Geometria Descritiva Lisboa

O Centro de Explicações de Lisboa, em Alvalade, possui no seu quadro, Professores para lhe dar explicações de Geometria Descritiva. 

Geometria Descritiva

A geometria mongeana, correntemente denominada por geometria descritiva é um ramo da geometria que tem como objetivo representar objetos de três dimensões num plano bidimensional. Esse método foi desenvolvido por Gaspard Monge e teve grande impacto no desenvolvimento tecnológico sendo considerada, no início da sua sistematização, como segredo de Estado.  

A Geometria Descritiva serve de base teórica ao desenho técnico, permitindo a construção de vistas auxiliares, cortes, secções, rebatimentos, rotações, interseções de planos e sólidos, mudança de planos de projeção, determinação de verdadeiras grandezas  de distâncias, ângulos e superfícies, bem como o cálculo de volumes a partir dos dados extraídos das projecções ortogonais.

Para a arquitetura, engenharia ou o design de produtos ou equipamentos o conhecimento da geometria descritiva é essencial. A existência de um mais profundo conhecimento do método de Monge, permite utilizar com maior adequação, todo o potencial dos programas de CAD e das modelagens em 3D, que exigem o domínio de medidas, curvaturas e ângulos exatos.

A modelagem tridimensional comporta  no seu entendimento e construção os conceitos da Geometria Descritiva. É insuficiente o entendimento, para gerar maquetes virtuais de qualidade, sem o conhecimento de conteúdos específicos da mesma, como por exemplo, a localização de pontos através de coordenadas (X, Y, Z) nas suas formas absolutas ou relativas.

Também no domínio das artes, nomeadamente na Geometria Descritiva, os explicadores da Quantum-Explicações, estão disponíveis e motivados, no nosso Centro em Alvalade ( Av. de Roma) em ajudar os alunos a ultrapassar as dificuldades, como o fazemos em muitas  àreas do conhecimento, como na matemática, física, química, biologia, economia e no domínio das ciências humanas.

Consulte os nossos preços ou solicite mais informação sobre as Explicações de Geometria Descritiva em Lisboa

 

Feliz Natal e bom ano de 2018

Em “the philosophy of christmas”, Stephen Law fala-nos do “desembrulhar dos presentes de natal” e do egoísmo psicológico, da possibilidade de sermos generosos ou do nosso ato de oferecer  é ” um reflexo social condicionado”,  levantando aqui um interessante problema moral. Mas há mais problemas morais no desembrulhar das prendas de Natal ?

 natal2

Como é que um consequencialista vê o problema? E um deontologista? O autor discorre sobre o problema de deus e a sua relação na época natalícia, expondo, para tal, alguns dos principais argumentos em torno do problema da filosofia, da religião e da existência de deus. O autor centra-se nos argumentos cosmológico e do desígnio.Claro que a sociologia do natal tem muito que se diga. Do ponto de vista da filosofia, os problemas são outros.

Desejamos um feliz natal, e um bom ano de 2018, a todos os alunos, professores e suas famílias, sejam quem forem.

 

Explicações de macroeconomia em Lisboa

O Centro de Explicações de Lisboa, Quantum, possui um corpo de explicadores, competente para o ajudar a entender os conteúdos das unidades curriculares de macroeconomia; consumo, poupança e investimento, procura e oferta agregadas, inflação, desemprego, modelos abertos e fechados, modelo multiplicador, câmbios, oferta de moeda, politica monetária, modelo IS/LM, politica orçamental e Crowding-out, crescimento endógeno  e … muito mais, quer no contexto da macroeconomia do curto prazo, quer do longo prazo. A Macroeconomia (do grego: lei ou administração do lar) é um dos ramos da ciência económica, dedicado ao estudo, medida e observação do comportamento dos agentes económicos (Estado, Instituições Financeiras, Empresas, Famílias e Exterior) de uma economia nacional, local ou regional, considerada como um conjunto de interacções reciprocas de fluxos económicos (circuito económico). Um conceito fundamental à macroeconomia é o de sistema económico, ou seja, uma organização que envolva recursos produtivos. Muitos autores consideram que foi a partir do lançamento do livro de Adam Smith “ A riqueza das nações” em 1776 que se deu início à ciência económica. Todavia, é a partir da década de 1930 que a expressão macroeconomia ganhou ênfase, sendo a primeira grande obra literária sobre macroeconomia o livro do economista Inglês John Maynard Keynes “ Teoria Geral do Emprego, Juro e da Moeda” obra que tem a sua génese no estudo da grande depressão de 1929 nos Estados Unidos da América e que fez emergir, a denominada Teoria Keynesiana em oposição à teoria clássica até então vigente. São variadas as correntes do pensamento económico Os clássicos defensores da livre concorrência Adam Smith, David Ricardo, John Stuart Mil ou Jean Baptiste Say). Adam Smith, defensor do liberalismo económico o mercado é a “mão invisível” que harmoniza a procura do interesse individual com o interesse colectivo. Os neoclássicos (dos quais Robert Lucas, Prémio Nobel da Economia em 1955, é o mais importante), defendem  a teoria das antecipações racionais e a “ economia do ciclo real “ que lançou as bases de uma análise microeconómica da macroeconomia. Esta teoria teve uma grande implantação nos anos 80, do século XX. Keynes e os Keynesianos que dominaram o pensamento económico entre 1950 e 1970. Para estes, o “ Agente económico Estado, deveria intervir na economia, para suprir as deficiências do mercado”. Dentro destes, existem dois grupos distintos; aqueles que são apelidados de síntese neoclássica (J.Hicks, Paul Samuelson, P. Solow) que tentaram a fusão das teorias Keynesianas com  a teoria neoclássica e os fieis  a um Keynes anti-clássico (  O. Blanchard, J. Stiglitz, S. Fischer, D. Romer). Marx e os Marxistas, que fundaram uma teoria geral das crises do capitalismo que levariam à sua destruição. Os Marxistas propuseram uma teoria do imperialismo (Lenine, Rosa Luxemburgo, S. Amin), a teoria  do neocapitalismo (P. Baran, Sweezy) e a teoria dos ciclos e crises ( Ernest Mandel). Os Monetaristas, liderada por Milton Friedman ( prémio Nobel em 1976 ), que opondo-se ao Keynesianismo desenvolveu na década de 1960, “ a teoria quatitativa da moeda “ que se consubstanciava na tese que a quantidade de moeda em circulação tem um efeito direto sobre os preços devendo o Estado limitar a criação monetária. Os Intitucionalistas, Heterodoxos,  Socioeconomistas e Economia da Oferta  Não  se poderão considerar como escolas bem definidas, mas um conjunto de autores  de correntes heterogéneas  cujo denominador comum é pensar a economia de forma institucional  e a partir das forças sociais que a compõem.Releve-se neste particular Schumpeter entre outros (Veblen, Commons, F. Perroux, J. Galbraith …) e no domínio da economia da oferta, Arthur Laffer que inspirou a politica de Ronald Reagan. Para este “guru da economia”, demasiado imposto mata o imposto, isto é, uma taxa de imposto demasiado elevada desencoraja o investimento e a actividade económica.

Explicações de Matemática

A matemática continua a ser uma disciplina em que grande parte dos alunos enfrenta dificuldades acrescidas.

Este fenómeno não é apenas, sensível no universo escolar Português e abrange genéricamente os alunos das escolas de quase todo o mundo (embora no nosso país esse fenómeno seja mais marcante), nomeadamente, nos paises desnvolvidos ou em vias de desenvolvimento.

Segundo as estatísticas oficiais, na União Europeia,  23% dos alunos do ensino básico, 68% dos alunos do ensino secundário e 31% dos estudantes do ensino superior, nos grandes centros urbanos, recebem explicações clássicas ou algum apoio complementar, no âmbito dos conhecimentos matemáticos.

As explicações presenciais e individuais em sala, são a melhor forma de ajudar os alunos a assimilarem com crítérios consolidados e pedagógicos, o conjunto de conceitos abstratos, porque numéricos, que refletem realidades insofismáveis.

A matemática requer por parte do aluno a apreensão sólida de conhecimentos teóricos que devem ser posteriormente testados ( cimentados ) em utilizações   práticas, isto é, a matemática necessita de pesquisa “laboratorial”.

Uma das formas erróneas, inscritas na pedagogia oficial do ensino da matemática a alguns anos a esta parte,  tem sido a  ” facilitação ” dos raciocínios, nomeadamente os raciocínios lógicos, enquadrando as experiências de jogos, meramente como interpretações de realidades, muito valorativas dos comportamentos e pouco adaptadas ao raciocínios em  contextos ciêntifico-sociais.

Por outro lado, esta facilitação do ensino de matemática, levaram os professores a utilizarem metodologias que repeliam e persistem ainda um pouco a repelir, o exercício de memorização, quando o treino de memorização, também, é essencial à nossa realidade objetiva.

Neste domínio, é exemplificativo, a permissão em sala de aula e fora dela, das máquinas de calcular, para resolução de problemas matemáticos, logo em tenra idade, como acontecia no 1º ciclo e 2º ciclo ( calculos aritméticos) ou mesmo já no 3º ciclo ( para ajuda a calculos matemáticos ).

A despeito da situação ter melhorado um pouco nos últimos anos, estamos longe, de um ensino-aprendizagem da matemática eficiente.

Essa realidade é ainda mais visível, quando alunos do 9º ano, com notas relativamente satisfatórias, ao passarem para o 10º ano de escolaridade, tem abruptamente classificações  negativas.

De facto a partir do ensino secundário o conteúdo programático e a exigência de conhecimentos da ciência matemática já não é tão facilitador e o impacto na consistência das bases de matemática (que deveriam estar cimentadas no ensino básico) é muito forte.

As explicações de matemática tem um papel muito importante na aquisição dos saberes, pois substituem (em todo o mundo), um ensino massificado na escola por um ensino personalizado e atendível às necessidades de competência específicas de um aluno concreto ( que não de uma turma).

O Quantum-explicações, ministra explicações de matemática, no sentido clássico e com excelente sucesso dos seus explicandos, por isso dizemos que temos respostas pedagógicas para si. Contacte-nos e informe-se sobre os nossos preços acessíveis para explicações de matemática do 1º ciclo, 2º ciclo, 3º ciclo e ensino secundário.

O que é afinal a matemática

O que é afinal a matemática e qual a sua relação com o mundo físico? Será apenas um instrumento útil criado por nós, uma linguagem artificial que nos permite descrever, prever e construir objectos e fenómenos? Ou, como pensavam os pitagóricos, Platão, Galileu, Kepler, Newton, Einstein e boa parte da física contemporânea, haverá uma conexão mais profunda entre a matemática e o Universo, sendo este intrinsecamente matemático na sua essência última e sendo assim a matemática o próprio código segundo o qual o próprio Cosmos se encontra escrito? Será essa a verdadeira explicação para o facto de a matemática funcionar tão bem e ser tão universal, tanto em termos da pura ciência teórica como relativamente às suas aplicações tecnológicas? Será essa a razão que justifica que todas as leis da Natureza, todos os padrões, regularidades e constantes que descobrimos no Universo e na Arte possuam uma estrutura matemática? Eis o Grande Mistério da Matemática.

Explicações de Filosofia

Para Aristoteles a filosofia é o conhecimento do primeiro grau, que vigia dia e noite a busca da verdade. A filosofia não brota por ser útil, mas tão-pouco pela ação irracional de um desejo veemente. É constitutivamente necessária ao intelectual.

A maturidade é tudo. Talvez que a filosofia nos dê, se lhe formos fiéis, uma sadia unidade de alma. Da unidade de espírito pode vir a unidade de caracter e propósitos que faz a personalidade e dá ordem à dignidade da vida.

Filosofia é conhecimento harmónico, criador, é disciplina que nos leva à serenidade e á liberdade.

Saber é poder, mas só a sabedoria é liberdade.

 Explicações de Filosofia para os alunos do ensino secundário, envolvendo as temáticas do conteúdo programático da disciplina:

  • Análise e compreensão do agir
  • Análise e compreensão da experiência valorativa
  • Dimensões da ação humana e valores
  •           A dimensão ético-política – Análise e compreensão da experiência convivencial
  •           A dimensão estética – Análise e compreensão da experiência estética
  •           A dimensão religiosa – Análise e compreensão da experiência religiosa
  • Racionalidade argumentativa e Filosofia
  •           Argumentação e lógica formal
  •           Argumentação e retórica
  • O conhecimento e a racionalidade ciêntífica e tecnológica
  • Desafios e horizontes da Filosofia

Consulte os nossos preços, temos respostas pedagógicas para si.

Explicações de Geografia 10º e 11º

O conhecimento geográfico inclui temas muito diversificados, como as componentes económicas, ambientais, sociais e culturais de um território.

A inclusão da disciplina de Geografia, no Curso Geral de Ciências Sociais e Humanas  e Curso Económico-Social, mesmo que optativa, permite aos alunos, nomeadamente, desenvolver atitudes que proporcionam a compreensão da relação entre o homem e a natureza, incentivar a participação nas discussões relativas à organização do espaço, e desenvolve o sentido de pertença … entre outros.

Assim os explicadores da Quantum-Explicações, ajudarão s alunos a compreender as temáticas da população utilizadora de recursos e organizadora de espaços, os usos, limites e potencialidades dos recursos naturais, os movimentos populacionais e a forma de comunicação, os novos desafios e oportunidades derivadas da integração de Portugal na União Europeia, explicando conceitos e temas integrado no programa da disciplina de Geografia como, por exemplo;

Desemprego, Emprego sustentável, Estruturas etárias, Índices de dependência de jovens e idosos, Assimetrias regionais, Capacidade de carga humana, Recursos endógenos e exógenos, renováveis e não renováveis, Amplitude da variação térmica, Radiações solares, Depressão barométrica, Toalha cársica e freática, Zona económica exclusiva ( ZEE ), Energia eólica e das marés, Política agrícola comum ( PAC), Fundos estruturais europeus ( FEDER, FEOGA, FSE) … e muito mais.

Consulte os nossos preços e contacte-nos, estamos sediados na Av de Roma, em Lisboa

 

8 Dicas para cuidar da sua boca no Natal

O Natal está a chegar e com ele, dias de alegria, celebração, encontros com familiares e amigos, comidas de negócios…, isto é, compromissos que tornam inevitável sair da rotina e comprometer alguns excessos que podem afetar nossa saúde e a de nossos dentes. Por este motivo, da Clínica do Marquês, damos-lhe algumas dicas básicas, para evitar riscos e cuidar da sua saúde bucal nesta data festiva que é o período do Natal. Ler Mais…

Fases de tratamento ortodôntico com Invisalign

Se está a pensar em melhorar o seu sorriso, pode optar por um tratamento com alinhadores invisíveis – Invisalign-.

É um sistema de ortodontia altamente estético baseado em talas removíveis que realizam pequenos movimentos gradualmente para conseguir um sorriso estético e funcional.

É um tratamento eficaz que é indicado para corrigir praticamente qualquer problema de alinhamento ou mordida dos dentes.

Depois de ter tomado a decisão de ter um sorriso perfeito e escolheu Invisalign para alcançá-lo, quais são os passos que irá seguir ao longo do tratamento? Ler Mais…