Explicações de Química Orgânica

A química orgânica é um ramo da química, com génese no estudo das substâncias que constituem a matéria viva e dos compostos resultantes das suas transformações.

Em muitas das Instituições de Ensino Superior, a cadeira de Química Orgânica, revela-se com alguma dificuldade para muitos estudantes.

Há muitos anos atrás, tanto os Fenícios como os Egípcios utilizavam produtos e técnicas “ cientificas “ para tingir têxteis, respectivamente a utilização de um corante de cor púrpura obtido das glândulas branquiais do molusco “ Merex Trunculus “ e o índigo ( com origem no anil ) e a alizarina . Ainda hoje é utilizado o índigo para tingir calças e outras peças de vestuário de ganga, a despeito deste corante ser obtido actualmente, através de processos industriais, o que revela que o Homem possui um domínio da química orgânica desde os primórdios da civilização.

A utilização de vinho para produzir vinagre e a fermentação das uvas para gerar álcool etílico, está descrito na Bíblia. Em plena idade medieval conhecia-se as propriedades ácidas do limão e o alquimista Jabir Hayyan descobriu no século VIII o ácido cítrico (C6H8O7). Com o fim da química tradicional no século XVIII, o químico Sueco, Torben Olof Bergman, dividiu, a química, em:

Torbem Olof Bergman

  • Química Orgânica     – ( Química dos compostos existentes nos organismos vivos )
  • Química Inorgânica – ( Química dos compostos existentes no reino animal )

 

Inicialmente, pensava-se que a síntese de substâncias orgânicas, seria apenas verosímil com a interferência de organismos vivos, contudo, veio a demonstrar-se que estes compostos podiam ser sintetizados em laboratório. Daí, que a designação de compostos de carbono ter vindo a substituir a de compostos orgânicos, já que este elemento é “ denominador comum “ a todos eles.

 

A facilidade com que os átomos de carbono (6C 1s2 2s2 2p2, 4 electrões de valência) formam ligações covalentes (simples, duplas ou triplas)  com outros átomos de carbono ou com átomos de outros elementos explica o número e a variedade de compostos orgânicos. Os compostos orgânicos podem ser agrupados e classificados de acordo com a presença de determinados grupos de átomos nas suas moléculas (os grupos funcionais), grupos esses que são responsáveis pelo comportamento químico dessas famílias de compostos orgânicos. Qualquer composto orgânico é constituído por uma cadeia carbonada não reativa, “o esqueleto” e por uma parte reativa, o grupo funcional.

Os hidrocarbonetos são substâncias moleculares binárias, pois são apenas formadas por carbono e hidrogénio. Quando na cadeia carbonada só existem ligações covalentes simples, trata-se de um hidrocarboneto saturado, caso existam ligações covalentes duplas ou triplas, entre os átomos de carbono, trata-se de um hidrocarboneto insaturado. Há dois grandes grupos de hidrocarbonetos: os hidrocarbonetos aromáticos (contêm, pelo menos, um anel benzénico) e os hidrocarbonetos alifáticos (não contêm nenhum anel benzénico e as suas cadeias carbonadas, podem ser abertas ou fechadas e qualquer delas pode ser ramificada (C3 ou C4) ou linear (C1 ou C2)).

Os explicadores do Quantum – Centro de Explicações de Lisboa, ajudarão os alunos a compreender estes conceitos e outros, como as nomenclaturas dos alcanos, dos alcenos e dos alcinos, esteres, aminas, polímeros e muito mais …

Peça informações e consulte os nossos preços, temos respostas pedagógicas para si …

Tagged , , , . Bookmark the permalink.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


*